19 janeiro, 2018

Chegou 29 quase 30

Que coisa feia da minha parte. Transformei meu blog quase em um muro de lamentações e quando vou chegando em fases incríveis, o deixo de lado como se não precisasse registrar tudo de bom e incrível que D-s vai colocando na minha vida 🖤

Bem depois do terceiro chá em 9/12, onde pedi vitalidade, energia e outras coisinhas a mais, uma parte de mim com certeza estava completa. Por que uma parte? Nem, sou humano e como cristão consciente e inconsciente que sou sei que não existe plenitude nesse pobre corpo e que o mais próximo que posso chegar de plenitude parte da divindade máxima D-s.

Viver dia 9/12 foi começar a pavimentação de uma estrada que eu construi e Cascalhei. Quando termina? Não faço ideia.. mas na boa.. nem importa.

O amor próprio tem tomado novas proporções e com ele coisas que hoje prefiro me limitar a chamar de ensinamentos. Pessoas entrando, saindo da minha vida, construções do que um dia podem se tornar um amor, quem sabe, projetos como novos vestibulares (domingo passado 1 neste 21/1 e 28/1 mais outros) e por aí vai.

Simmmmm! Minha vida é feita de momentos lindos e incríveis que eu vivo e, por vive-los, esqueço de registrar nesse possível diário de bordo do que é ou foi minha vida.

Continuo pobre e na simplicidade de quem sou muito mais rico de experiências e vontades
Fim do mês uma nova dose do chá, mas neste meio tempo quero meditar! Sobre o próximo, sobre mim, projetos e as construções de longo prazo que estou construindo pra mim.

Share:

05 janeiro, 2018

01 janeiro, 2018

05 dezembro, 2017

+/Todas as cores que Sou



Último sábado de outubro eu tomei pela primeira vez com um grupo na cidade de Itaiaem em SP o chá da Ayuasca por convite do meu homemate. Estava em um processo totalmente desequilibrado de falta de amor próprio.
O chá de origem indígena é utilizado hoje por religiões como o Santo Daime mas também já é estudado em terapias no hospital das clínicas da cidade de São Paulo.
Por sugestão da cuidadora do grupo, que é um amor de pessoa, é importante meditar, avaliar e entender como as coisas estão todas conectadas para que o chá alcance seu objetivo e talvez essa seja a mágica de tudo que vivi até agora. Não entendia com plenitude essas coisas! Se quer me amava, dirá então meditar em mim, dirá então avaliar algo que não paro pra pensar e menos ainda me ver parte de algo bom é maior. Foi assim que cheguei no grupo e de longe, se sair depois do próximo encontro dia 9/12, é quem sou hoje.
Eu resolvi fazer essa postagem mais para falar de como está sendo incrível e de como enxergo as coisas no momento do que para falar da experiência em si. Falar da experiência pode limitar quem tem curiosidade a respeito a pensar de forma cética.. como cética? Exemplo:
"Ayuasca é alucinógena.. é uma droga": Sim. Ela te faz alcançar o subconsciente te dando acesso a informações que até então estavam guardadas. Diferente de todas as "drogas" que já experimentei os "efeitos" são totalmente diferentes entre a primeira e segunda vez que tomei assim como totalmente diferente dos demais no grupo. A mesma "droga" causando efeitos diferentes?
Enfim, meu foco não é esse. Meu foco é deixar registrado o que aconteceu nos últimos dias.  40..  45 dias. Eu me estabilizei emocionalmente. Sem sofrer reconheço amor no meu peito e não sofro por não ser correspondido, talvez pela plenitude que tenho em me amar por completo.
Me sinto fisicamente forte e comportamentalmente falando, estável. Me sinto mais lindo por todas as cores e luzes que produzi. Pela força que percebi emanar de mim e para mim. Pela interferência direta e constante que tenho na vida de diversas pessoas e elas na minha. Sou cristão, mas não espere de mim um cristianismo morto que não entende a composição do meu átomo e a interação dele com outras composições ao redor. D-s está além de tudo isso e continuará sendo o guardador e tomador de decisões da minha vida, como guia que ELe é, mas deixou entre nós coisas e ferramentas que dogmas e orgulho, preconceito e muitas vezes ar se superioridade religiosa nos bloqueiam de perceber e tomar pra si. Não quero mais ser um indivíduo assim.


Próximo sábado tomarei a terceira dose que poderá ser o fechamento de um ciclo. Penso que novas gavetinhas da mente poderão ser abertas e por isso queira participar do próximo encontro em janeiro.. Pode ser que não. Tem uma fila de espera de 9 pessoas e não sei se seria justo com eles tirando essa oportunidade do que pode ser, assim como foi para mim, o começo de uma era rica de experiências e entendimento sobre si próprio.
Uma dica que dou, estando você ou não, pensando e conectado na força do chá, é: medite. Entenda que você é fruto das coisas que aconteceram e acontecem com você e se não souber perdoar, mudar, aceitar, deixar ir.. Esse processo será de dor e bloqueios. Ame, anote, ligue os pontos, construa pontes, ouça aqueles que te incomodam pois podem ser seus espelhos tentando te mostrar coisas que seus olhos não querem ver. Se ame e veja toda sua luz.
Share:

02 novembro, 2017

Entregue flores

Incrível como a sensação de enviar flores.
Eu já tive a felicidade de receber mas pela primeira vez enviei e uau.
Com certeza foram duas almas felizes com a atitude.
Achei válido passar aqui e deixar perdido no mundo online pra que os raros românticos não deixem morrer essa atitude.


Share:

22 outubro, 2017

-! Ahrrrr

Eu deixar de desabafar!?!?

Caralho?? Eu?! Óbvio que não. Nem que pra isso eu guarde na caixinha aqui.. a porra de uma semana penteando a porra do cabelo no micro-ondas, movendo puffs pra poder sentar enquanto faz isso.
A porra da semana deixando a louça suja, jogando roupas pelos cantos, com a porra daquele chulé.
Com copos sujos do lado do sofá e cigarros apagados e presos no vão da janela.
Com roupas amassadas em qualquer lugar que suma da vista e com pelos do barbear nos 4 cantos do banheiro.

Eu recebo um visita surpresa e depois de um dia e que em tese estava em casa, ganho o título é imagem de porquinho..
Ok. Como eu não gosto de me vender, foda-se.
Mas daí, ser acordado por quererem maquiar essa mesma bagunça num domingo de manhã, por que o amigo aqui não vai ser visitado de surpresa.
Ahrrrr

It's so fake
It's so fake
It'sssoooo faaaaakeee

Moral da história.
Não confie no que você vê. Eu já aprendi essa porra toda faz tempo, mas como sou prejudicado por isso o tempo todo, acho legal desingasgar aqui.

Tem quatro personagens nessa história.

O visitante 1 que viu a porra da bagunça toda: não julgue os dois  sem antes conhecer os dois. Os dois podem ser bagunceiros, ou só nenhum.. ou só um dia ruim.. ainda mais numa visita não programada.

O visitante 2: se a visita é programada e vc é do tipo que olha como é a casa dos outros (aff), tenha em mente q a casa vai representar ali oq o dono quer transmitir.  As chances de vc estar sendo enganado são gigantes.. então, aprende a deixar de ser otário e avaliar as pessoas pela casa em que elas vivem.

O 'eu' da história: vc não sabe se vender e a vida ainda te surpreende com visitas no meio da bagunça alheia? Vc não liga e continua não ligando. Pq seja lá qual for o ponto de vista da história, sua consciência é a única parte q importa e sua originalidade é algo escasso no mercado. Logo não fique mal ou estressado.

O homemate da história: tome vergonha na sua cara e passe a manter suas coisas organizadas . Eu ainda não decidi se fingir uma casa ou reparar na casa do outro é a pior parte da história.. mas com certeza é um comportamento escroto vender imagem assim..

Foda, é acordo coletivo né.. as pessoas sempre estão vendendo imagem.. hum.

Acho que chegamos num ponto interessante desse desabafo sem fim. Todo mundo de alguma forma quer vender uma imagem.. seja de status, físico ou social..  e aí? Vai julgar todo mundo? Vai ficar bravo com todo mundo?

Acho que não.  Acho que só vou viver minha vida do meu jeito pq hora dessas posso sim estar tentando vender algo.. seja nesse nível escroto ou em menor escala.. convencionado.. subjetivo..

Que bosta.
Independente, menos estressado agora.

Share:

14 outubro, 2017

-\ Cura


Tem pessoas que nasceram pra ter sorte no jogo e outras no amor.. Eu.. Bem, eu acho que não nasci pra ter sorte.  Talvez o melhor caminho pra ser feliz é aceitando o que eu tenho ou não tenho e talvez não ter é minha missão nessa vida: "O cara que não tinha"

Não é um post para chorar pitangas esse aqui não.. É um desafio para mim mesmo. Para ficar de pé novamente, como sempre faço. Aceitar não ter nada, significa aceitar não ter medo também. Mãos vazias podem ser motivo pra deprimir muita gente, mas se olhar direitinho, é espaço continuo pra deixar tudo que é novo entrar.

Significa não ter magoas, significa ter espaço de sobra no coração pra todo mundo que realmente queira um pedacinho.






Eu estive procurando sobre certa 'cura' e no final, enquanto procurava essa fora de mim, perdi algumas importantes dentro de mim. Daqui duas semanas vou conhecer certo chá: Ayahuasca.

Nesse pré momento, acho que cabe fazer um 360º das coisas que vivi, vi, sinto, fiz e deixei de fazer. Das coisas que quero, não quero e os porques. Algumas ações doloridas rolando hoje também, mas nada que uma dose de isolamento não faça em prol da reflexão.
Share: